Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

CPI vai sugerir indiciamento de Bolsonaro por charlatanismo

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 11 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
cats 88

Igo Estrela/Metrópoles

Victor Fuzeira e Marcelo Montanini - O pedido decorre da defesa do mandatário do país para o uso de medicamentos ineficazes no tratamento da Covid-19

O comando da CPI da Covid-19 decidiu, em almoço realizado nesta quarta-feira (11/8), que vai sugerir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por charlatanismo e curandeirismo, além de publicidade enganosa. A informação foi noticiada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, e confirmada pelo Metrópoles.
O indiciamento decorre da defesa do mandatário da país pelo uso de medicamentos ineficazes no tratamento da Covid-19.

A decisão ocorreu durante intervalo na sessão desta quarta, em que os senadores colhem o depoimento do CEO da farmacêutica Vitamedic, Jailton Batista, que lucrou com a venda de ivermectina na pandemia.

A decisão parte de consenso entre o comando da CPI da Covid. No almoço, estavam os senadores Omar Aziz (PSD-AM), Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

“Cobaia”

Durante a sessão, Randolfe reforçou a gravidade do uso desmedido dos remédios comprovadamente ineficazes e acusou Bolsonaro de “usar o povo de cobaia”.

“Tudo isso foi incentivado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e,pelo presidente Jair Bolsonaro, e o povo de Manaus, do Amazonas, lamentavelmente foi feito de cobaia com esse tipo de tratamento [precoce], com alguns lucrando. Alguns lucrando à custa das mortes de brasileiros”, disse o vice-presidente do colegiado.

“Curandeiro”

O senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que “Bolsonaro atuou como se fosse um curandeiro”. “Anunciou cura infalível para uma doença em que isso efetivamente não existe. Eu já falei com o relator e eu sei o que ele vai fazer. Ele vai indiciá-lo pelo descumprimento do Código Penal, no art. 284: prescrever, ministrar ou aplicar qualquer substância com o discurso de que é milagrosa ou infalível. Vai ser indiciado, sim”, enfatizou o petista.

Ainda de acordo com Costa, o chefe do Executivo violou, por pelo menos 18 vezes, resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a publicidade e propaganda de medicamentos.

“Uma vez, mostrou uma caixa querendo dar cloroquina pra uma ema. Esse é o grande responsável. Esse é o grande responsável pela tragédia sanitária”, completou o senador.

Fonte: Metrópoles

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter