Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

TikTok para profissionais: especialista diz que uso é válido desde que “não se perca o bom senso e a ética”

Por GyanCarlo

Em 11 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vvvb

Reprodução

Redação Eufemea

De acordo com a coordenadora do Unit Carreiras, Polyana Barbosa, o uso do Tiktok é válido desde que o profissional não perca o bom senso nem a ética.

“O aplicativo tem diversas funcionalidades sendo as dancinhas as mais conhecidas, porém elas devem ser usadas com cautela já que estamos falando de um perfil profissional que deve levar em consideração os códigos de conduta da sua profissão e dos conselhos reguladores”, recomenda.

Como o propósito do aplicativo é o entretenimento, a coordenadora fala que profissionais podem e devem se utilizar da irreverência, mas sem perder o decoro e sempre verificar o que é pertinente naquela mensagem.

Para quem não gosta de dançar, outras opções de conteúdo como informações sobre o que é mitos e verdades sobre algum tema relacionado a profissão, dicas de saúde ou resoluções simples de problemas diários, demonstrações práticas de atividades e perguntas e respostas podem ser utilizados na plataforma.

“O profissional precisa estar em movimento, quem não é visto não é lembrado. Então se o momento agora é o TikTok, os profissionais têm que entrar na onda, se adaptarem e se atualizarem. Fazer uso do aplicativo sem perder a identidade nem precisar copiar o que outras pessoas fazem, mas tentar achar ali um meio termo entre o que se quer entregar, o que a profissão pede e o que as pessoas estão esperando dentro da plataforma”, explica.

Polyana destaca também que, como o TikTok é muito consumido pela geração Z e Millenium, profissões que trabalhem com esse público podem ter mais resultados, porém isso não é uma regra já que a popularidade do aplicativo está atingindo todos.

Outro detalhe importante é que o profissional use o aplicativo para compartilhar informações relevantes sempre educando os usuários a respeito de informações falsas e perigosas na rede que podem até prejudicar a saúde como já foi noticiado.

“É preciso ter esse cuidado. Nada sensacionalismo ou exposição indevida de clientes e pacientes, de resultados que não foram autorizados, de promover técnicas que ainda não foram reconhecidas e aprovadas pelos órgãos responsáveis pois infelizmente existem muitos profissionais que para se destacar inventam técnicas e métodos milagrosos como se fosse uma descoberta própria  e antes de ser validado ou reconhecido, jogam na internet como se fosse a oitava maravilha do mundo e as pessoas acabam comprando mesmo sem saber do resultado garantindo”, alerta.

Fonte: Brasil 247

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter