Anadia/AL

20 de setembro de 2021

Anadia/AL, 20 de setembro de 2021

Sindicato diz que aprovação da nova MP dos combustíveis não trará nenhum benefício

Por GyanCarlo

Em 19 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
VVV

Posto de combustível / Foto: CM / Maria Luíza Lúcio

A Medida Provisória (MP) que promoveu alterações na Lei do Petróleo, nº 9.478/1997, não beneficiará os consumidores nem os agentes regulados, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes de Alagoas (Sindicombustíveis/AL). A proposta libera a venda direta de etanol hidratado por produtores e importadores para os postos de combustíveis e flexibiliza suas fidelidades à bandeira.

A entidade explica que a principal mudança de liberar a venda direta de etanol hidratado por produtores e importadores para os postos de combustíveis, a partir de 1º de dezembro, só valerá para os postos de bandeira branca – os não filiados a empresas nacionais ou internacionais -. “Já os postos que possuem contratos assinados com as distribuidoras certamente terão que respeitar as cláusulas de exclusividade”.

Para o Sindicato, a proposta não vai eliminar os riscos de sonegação, que já são elevados e crônicos no setor de etanol. “[A MP] não deveria concentrar esforços em alterar regras regulatórias do setor de combustíveis que não tragam qualquer benefício para o consumidor e nem para os agentes regulados”.

Já a segunda mudança, pretende flexibilizar a tutela regulatória de fidelidade à bandeira, ao permitir que um posto bandeirado possa comercializar combustíveis de outros fornecedores, que não o da marca que o posto ostenta.

Porém, a alteração “não se aplica aos contratos vigentes, somente será válida aos contratos futuros caso haja consenso entre distribuidor e revendedor. Ou seja, as distribuidoras podem simplesmente não aceitar que os seus postos exclusivos façam uso da regra”.

Essa medida deve ser regulamentada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no prazo de 90 dias a partir da data da publicação da MP. Ou seja, entrará em vigor em 10 de novembro deste ano.

O Sindicato finalizou indicando que considera a regra inofensiva. “As distribuidoras já estão se posicionando por notas escritas contra a possibilidade de negociar cláusulas contratuais que permitam a comercialização sem exclusividade em postos bandeirados. Parece ser mais uma medida federal que não trará qualquer benefício prático”.

Aprovação da MP

Na última quarta-feira (11), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou a nova MP que autoriza a venda  de etanol por produtores ou importadores diretamente com os postos de combustíveis. A proposta dispensa o intermédio de empresas distribuidoras e o que era obrigatório passa a ser facultativo.

Fonte: Cada Minuto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter