Anadia/AL

23 de setembro de 2021

Anadia/AL, 23 de setembro de 2021

Motorista e cobrador de transporte intermunicipal que não tomarem vacina contra Covid serão suspensos em AL

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 21 de agosto de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
whatsapp-image-2021-08-21-at-14.48.33

Arsal fará uma campanha de orientação para os trabalhadores das categorias convencional e complementar — Foto: Divulgação/Arsal

Arsal comunicou que obrigatoriedade começa a partir do dia 30 de agosto, mas que antes fará um trabalho educativo.

A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) informou que motoristas e cobradores do transporte intermunicipal de passageiros devem estar vacinados contra Covid-19. Segundo o órgão, na próxima terça-feira (24), será publicado um decreto com a obrigatoriedade da vacina.

Inicialmente, será feira uma campanha de orientação para os trabalhadores das categorias convencional e complementar com blitze da Arsal nas vias. Os agentes de apoio ao transporte pedirão que os transportadores apresentem o comprovante de vacinação.

Caso o motorista ou cobrador não tenham se vacinado, serão orientados quanto à importância da imunização com a 1ª e 2ª doses. Já a partir do dia 30 de agosto, uma semana após a campanha educativa, quem não apresentar o comprovante da vacina será suspenso das atividades até que estejam aptos a voltarem ao trabalho sem oferecer riscos aos passageiros.

Usuários também deverão apresentar seu comprovante de vacina, quando solicitado pelo agente de apoio.

A Agência Reguladora informou que este foi um mecanismo encontrado pela para identificar condutores que ainda não se vacinaram, ou não tomaram a segunda dose, e afastar das atividades os profissionais que possam colocar em risco à segurança sanitária dos usuários.

Além disso, o órgão busca fazer um diagnóstico da adesão dos transportadores ao plano de imunização do governo estadual.

A medida segue a determinação já existente em uma lei federal que determina a vacinação obrigatória e decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinaram o mesmo.

Fonte: G1-AL

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter