Anadia/AL

20 de setembro de 2021

Anadia/AL, 20 de setembro de 2021

Representante das revendedoras de gás considera ‘irresponsável’ ação de venda de botijão a R$ 60

Por GyanCarlo

Em 2 de setembro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

Ação vendeu botijão de gás a R$ 60 (Elivaldo Pamplona)

Sindicato das Empresas Revendedoras de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado do Pará (Sergap) diz que esse preço é impraticável, porque as revendedoras compram o produto por mais de R$ 83

Advogado e presidente do Sindicato das Empresas Revendedoras de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado do Pará (Sergap), Francinaldo Oliveira, chamou de ‘irresponsável’ a  campanha “Petrobrás para os Brasileiros”, que promoveu o “Dia Nacional do Gás a Preço Justo”, com botijão de gás sendo vendido a R$ 60 em várias localidades do País, inclusive em Belém.

Ele criticou a forma como a campanha foi desenvolvida. Pois, para o advogado, empurra para cima das revendedoras a responsabilidade pelos preços praticados atualmente. “Não sei qual o objetivo da campanha, se é político, pra atacar alguém. Mas posso reporta-la como ‘irresponsável’ porque está colocando a revenda numa situação difícil, como se a revenda fosse a vilã dos preços altos”, disse Francinaldo, em áudio compartilhado aos jornalistas da capital paraense.

Segundo ele, o preço de R$ 60 estabelecido na ação é impraticável. “As revendas aos quais eu represento já compram botijão de gás na distribuidora a preço superior a R$ 83. Eu tenho como comprovar com nota fiscal”, ressalta.

Várias pessoas foram pra fila comprar gás a R$ 60 (Elivaldo Pamplona)

Em Belém, uma grande fila se formou em frente a uma revenda de gás localizada em Icoaraci, para comprar o produto pelo preço de R$ 60. A ação foi promovida pelo Sindicato dos Petroleiros do Pará, Amazonas, Maranhão e Amapá e o desconto foi subsidiado pelo Observatório Social da Petrobrás (OSP) e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP). Segundo as entidades, o objetivo é mostrar à população que sem o PPI (Preço de Paridade de Importação) – a política de preços imposta pelo Governo Federal e para a Petrobras e, segundo as entidades, responsável pela alta dos combustíveis – o gás de cozinha poderia custar até 40% mais barato.

Fonte: O liberal

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter