Anadia/AL

16 de setembro de 2021

Anadia/AL, 16 de setembro de 2021

Caso Henry: laudo do IML diz que menino não foi vítima de abuso; advogada vai entrar com ação contra Estado

Por GyanCarlo

Em 8 de setembro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

Advogada Rayanni Mayara Albuquerque, / Foto: Reprodução

Maria Luiza

Após o laudo do Instituto Médico Legal (IML) informar que o menino Luan Henry, de 2 anos, encontrado morto em uma piscina em Marechal Deodoro, Região Metropolitana de Maceió, não sofreu abuso sexual, a advogada de defesa da mãe adotiva da criança, Rayanni Mayara, disse que irá entrar com ações indenizatórias contra o estado.

Em decorrência da morte do menino, a mãe adotiva da criança foi presa suspeita de abandono de incapaz. Ao Cada Minuto, a advogada contou que o laudo “vai robustecer as diversas ações e as diversas consequências que as alegações infundadas da delegada causaram”.

A Perícia Oficial do Estado, a pedido da delegacia de Marechal Deodoro, realizou o exame. “O laudo saiu e foi negativo, embora não tenha sido surpresa para nós, porque a gente tinha certeza que seria negativo”, destaca Rayanni.

Ela detalhou que há uma ação indenizatória contra o estado. “Justamente pela prisão ilegal, por ela ter ficado em cela que não de estado-maior por ser advogada. Além da guarda da outra criança [outro filho dela], que foi retirada e está em um abrigo por conta da morte”.

“Tudo gerou essas consequências e o laudo favorece em tudo, até da própria futura ação criminal que possa existir contra ela, que é de abandono de incapaz, imputado pela delegada”, afirma.

A advogada também informou que já está entrando com uma ação para que o outro filho possa sair do abrigo.

Entenda o caso

A criança foi encontrada no dia 24 de julho no fundo de uma piscina e chegou a ser levada até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas já chegou no local sem vida. Foi confirmada a morte por afogamento.

De acordo com os depoimentos prestados à polícia, a advogada, seu esposo e amigos do casal estavam na casa onde ocorreu o fato. A acusada havia colocado a criança para dormir no quarto, voltou para a área externa e, quando foi olhar novamente a criança, viu que ela não estava onde havia deixado.

Foi então que iniciaram as buscas por Henry e o encontraram na piscina.

A polícia esteve presente na residência e isolou o local. A mulher foi levada até a Central de Flagrantes, onde foi presa por abandono de incapaz com resultado morte.

Fonte: Cada Minuto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter