O óbito do parlamentar, o segundo da Casa em decorrência da Covid, foi confirmado pela Câmara Municipal de Uberlândia por meio de uma nota de pesar.

“O vereador Thiarles Santos deixou sua história e legado na Câmara Municipal de Uberlândia nestes 7 meses e 20 dias que passou conosco. Como integrante do Poder Legislativo Municipal, o vereador teve como função primordial representar os interesses da população perante o Poder Público, ouvindo o que os seus eleitores e o povo de Uberlândia desejavam, propondo e aprovando esses pedidos na Câmara Municipal e fiscalizando se o prefeito e seus secretários estavam colocando essas demandas em prática”, diz a nota.

O advogado, que estava em seu primeiro mandato, foi internado em agosto em um hospital particular da cidade. Em 4 de setembro, foi intubado. Os pulmões não responderam bem ao tratamento e uma traqueostomia chegou a ser cogitada. No entanto, ele apresentou instabilidade respiratória e faleceu antes de realizar o procedimento.

Projeto de Lei

Thiarles foi autor de um PL que pretendia mudar a legislação para desobrigar o uso de máscara para pessoas vacinadas ou que já contraíram Covid-19.

Continua após a publicidade

Na justificativa, o parlamentar escreveu que “uso prolongado pode agravar sintomas de pessoas com problemas respiratórios pré-existentes, pois o ar quente dentro da máscara pode dificultara respiração e desencadear crises respiratórias (…). Se a máscara for muito apertada também pode causar ansiedade, alterando padrões respiratórios e causando desconforto”.

Em julho, o parlamentar disse, nas redes sociais, que não iria se cadastrar para a vacinação devido à baixa quantidade de vacinas disponíveis em Uberlândia.

“Mesmo tendo aberto o cadastro para as pessoas da minha idade, 34, irei aguardar toda a população ter acesso a doses da vacina”. Um mês depois, ele testou positivo para o novo coronavírus.

Fonte: IG