Anadia/AL

27 de outubro de 2021

Anadia/AL, 27 de outubro de 2021

Eduardo Bolsonaro chama Simone Tebet de “Maria do Rosário do Senado” e causa revolta nas redes

Por GyanCarlo

Em 22 de setembro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

Eduardo Bolsonaro estampando o rosto de um de seus ídolos (Arquivo)

Eduardo repetiu o pai, Jair Bolsonaro, que foi condenado por dizer em 2014 que não estupraria Maria do Rosário (PT-S) porque ela “não merecia” Plinio Teodoro

Fazendo jus à educação que recebeu, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) causou revolta nas redes sociais após repetir ataque machista do pai, Jair, que foi condenado por dizer em 2014 que não estupraria Maria do Rosário (PT-S) porque ela “não merecia”.

“Maria do Rosário do Senado. Lembra ou não lembra um ‘mas o que é isso?! O que que é isso aqui?! Mas o que é isso?!’. É ou não é um circo?”, tuitou Eduardo juntamente com o vídeo em que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) é chamada de “descontrolada” pelo ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, durante a sessão da CPI da Covid nesta terça-feira (21).

A publicação causou revolta nas redes. A jornalista Juliana Dal Piva, do portal Uol, foi a primeira a lembrar que Bolsonaro foi condenado pelo ataque machista a Maria do Rosário.

“Deputado, exatamente por causa desse episódio o presidente @jairbolsonaro é réu no STF e teve que indenizar a deputada Maria do Rosário. Machismo pode, no mínimo, doer no seu bolso. Não teve imunidade parlamentar pra isso não”, tuitou.

“Machista descarado que sempre procura taxar as mulheres de descontrolada. Nada diferente de vossa família, bananinha”, comentou o perfil @adagilmar.

CPI

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Rogério Carvalho (PT-SE) afirmaram que o ministro foi machista na CPI, enquanto Otto Alencar (PSD-BA) chamou ele de “moleque” e “pau mandado”. “Tá pensando que está aonde, rapaz?”, bradou outro parlamentar.

Em meio à confusão, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), declarou o encerramento da sessão e anunciou que Wagner Rosário agora é investigado.

Maria do Rosário

Em novembro de 2019, após cinco anos, a deputada Maria do Rosário promoveu ato para doação da indenização que recebeu de Bolsonaro, condenado por danos morais pela Justiça do Distrito Federal, em processo que a parlamentar gaúcha moveu contra o então deputado.

A indenização, no valor de aproximadamente R$ 20 mil, foi repassada para sete entidades que atuam no enfrentamento à violência contra mulheres

Em 2014, o então deputado Jair Bolsonaro disse que não estupraria Maria do Rosário porque ela “não merecia”. No dia seguinte, reafirmou as declarações em entrevista ao jornal Zero Hora: “É muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria”. A declaração deu origem a duas ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF) e a uma ação cível, movida na justiça do Distrito Federal.

Leia mais repercussões do tuite de Eduardo Bolsonaro

Fonte: Revista Forum

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter