Anadia/AL

26 de outubro de 2021

Anadia/AL, 26 de outubro de 2021

Vacina contra a covid não tem relação com morte de jovem de 16 anos

Por GyanCarlo

Em 23 de setembro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

Pfizer / Foto: Agência Alagoas

Após a morte uma adolescente de 16 anos, em São Bernado do Campo, circularam nas redes sociais informações de que o que provocou a fatalidade  foi a vacina contra a Covid-19. A afirmação não procede. Análises feitas pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo indicaram que adolescente foi vítima de doença autoimune, conclusão reforçada também pelo Ministério da Saúde.

A adolescente faleceu no dia 2 de setembro, oito dias após receber a primeira dose da vacina Pfizer. Por isso, o caso foi investigado de forma conjunta por 70 profissionais reunidos pela Coordenadoria de Controle de Doenças e do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE). Especialistas em Hematologia, Cardiologia, infectologia e outros atuantes nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIEs) do estado participaram das análises. A conclusão das análises, divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, no entanto, não encontrou relação entre a vacina e a causa da morte.

“O quadro clínico e os exames complementares sugerem Púrpura Trombótica Trombocitopênica (PTT), doença rara e grave, normalmente sem uma causa desencadeante conhecida. Apesar da relação temporal com a vacinação, não há como atribuir relação causal entre PTT e a vacina covid-19 de RNAm. Não é possível atribuir diretamente a doença e óbito à vacinação”, informou a nota informativa da secretaria.

O comunicado também acrescentou que, mesmo assim, a Anvisa irá notificar o caso à Organização Mundial da Saúde (OMS) para avaliação quanto a qualquer possível sinal de segurança. “Os benefícios da vacinação excedem significativamente os seus potenciais riscos”, garante a Anvisa.

Após orientação do Ministério da Saúde, por questão de prioridade e de logística, o Governo de Alagoas chegou a limitar a vacinação dos adolescentes apenas aos que possuem comorbidades ou estão privados de liberdade. No entanto, na terça-feira (21), o governador Renan Filho anunciou a retomada da imunização de todos os adolescentes.

Nessa quarta-feira (22), o Ministério da Saúde voltou a recomendar a vacinação para adolescentes sem comorbidades seguindo ordem de prioridades. “Podemos, a partir de agora, retomar a vacinação dos adolescentes e essa decisão vem após vários estudos e discussões técnicas”, anunciou o secretário-executivo Rodrigo Cruz.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após as análises feitas e divulgadas pela Anvisa, já tinha determinado que o plano de vacinação não seria suspenso. “O Brasil já vacinou mais de 3,5 milhões de adolescentes. Os efeitos adversos existem e não são motivos para suspender campanha de vacinação ou relativizar seus benefícios”, destacou Queiroga.

Fonte: Cada Minuto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter