Anadia/AL

27 de outubro de 2021

Anadia/AL, 27 de outubro de 2021

Juíza recusa novamente ratificação de denúncia contra Lula em caso do sítio

Por GyanCarlo

Em 30 de setembro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
VV

MPF tentava reabrir caso contra ex-presidente mesmo após suspeição de Moro

Sem a indicação de provas válidas para sustentar a acusação, a 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal manteve a decisão que negou a ratificação da denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo caso do sítio de Atibaia (SP).

O Ministério Público Federal contestava a decisão e alegava que seria possível a ratificação genérica e integral da denúncia. Ainda segundo o órgão, não seria definitiva a decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que estendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro ao caso.

A juíza Pollyanna Kelly Maciel Martins Alves, porém, indicou que a suspeição de Moro anulou de modo absoluto todas as decisões proferidas pelo magistrado ex-juiz.

“Diferentemente do que crê o Ministério Público Federal, a observância da decisão por este Juízo é obrigatória e não facultativa, assim como não comporta alteração por esta magistrada”, ressaltou. Como a denúncia original se baseia em provas tornadas nulas pelo STF, a peça não poderia ser ratificada de modo genérico e irrestrito.

Na primeira decisão, Pollyanna reconheceu a prescrição do caso com relação a Lula e outros três denunciados com mais de 70 anos. Desta vez, a juíza lembrou que a prescrição decorre da anulação dos atos de Moro, já que todos os marcos interruptivos de prescrição foram tornados sem efeito.

Por fim, a magistrada destacou que a decisão monocrática de Gilmar permanece válida e vigente, já que não há previsão legal de efeito suspensivo no agravo regimental interposto no HC.

Assim, a juíza sustentou a sua primeira decisão e determinou a remessa dos autos ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Fonte: Conjur

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter