Anadia/AL

26 de outubro de 2021

Anadia/AL, 26 de outubro de 2021

Bolsonaro pede economia com energia, mas Planalto gasta mais com conta de luz

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 11 de outubro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
xplanalto.jpg.pagespeed.ic.ZF7uS4yu5C

O Planalto iluminado com as cores da campanha de prevenção ao câncer de mama: alta na conta de luz / Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom / Agência Brasil

Por Daniel Gullino

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro pede para a população economizar energia, inclusive sugerindo que deixe de usar elevadores e apague um ponto de luz da casa, a Presidência da República gastou mais eletricidade nos últimos meses.

No período entre junho e agosto, quando o governo começou a alertar para os riscos da crise hídrica sobre o sistema elétrico, o consumo dos palácios e prédios ligados à Presidência subiu 6% em relação ao mesmo período de 2020, de 2.219.442 quilowatt-hora (kWh) para 2.335.881kWh.

Os dados são do Portal de Dados Abertos do governo federal e incluem todo o complexo do Palácio do Planalto, onde o presidente trabalha, e as residências oficiais do Palácio da Alvorada e da Granja do Torto.

Em agosto, Bolsonaro editou um decreto determinando uma meta de redução do consumo de energia no governo federal entre setembro de 2021 e abril de 2022. Os órgãos públicos terão que reduzir o consumo de 10% a 20% em relação à média dos mesmos meses dos anos de 2018 e 2019, anteriores à pandemia.

Os dados de setembro ainda não estão disponíveis para avaliar qual foi o impacto na Presidência do primeiro mês de vigência do decreto. Entretanto, uma comparação entre a média dos três meses anteriores com a média do mesmo período em 2019 e 2018 indica que pode haver dificuldades: houve redução, mais de 4%, abaixo da meta estabelecida.
Além disso, por incluir 2019, a metodologia do cálculo beneficia a Presidência, pois o consumo no primeiro ano foi de 915.752 kWh, 5% acima do registrado em 2018, último ano do governo Michel Temer (870.962 kWh).

Os vários aumentos recentes na tarifa de luz, com a criação da bandeira de escassez hídrica, que cobra R$ 14,20 cada 100 kWh consumidos, também impactam a conta de luz da Presidência.

O gasto nos meses de junho a agosto foi de pouco mais de R$ 1,97 milhão, alta de 18% em relação aos R$ 1,6 milhão do mesmo período de 2020. Procurado, o Planalto não comentou os dados.

Se o conjunto de imóveis usados pelo presidente está gastando mais luz em plena crise hídrica, ao menos no Palácio da Alvorada, onde Bolsonaro vive com a mulher Michelle, uma filha e uma enteada, houve alguma redução, embora mínima.

O consumo de energia nos três meses avaliados caiu 0,5% entre 2021 e 2020, de 291.680 kWh para 290.114 kWh. Isso mesmo com o presidente repetindo que mandou desligar o aquecedor da piscina e que tem evitado o elevador da residência.

— Aqui (no Alvorada) são três andares. Quando tem que descer, mesmo que o elevador esteja aberto na minha frente, desço pela escada. Se puder fazer a mesma coisa no seu prédio… Ajude a gente — pediu o presidente em setembro

Por outro lado, no Palácio do Planalto (incluindo anexos) a alta foi de 5% e na Granja do Torto, de 10%.

Fonte: Extra -RJ

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter