Anadia/AL

30 de novembro de 2021

Anadia/AL, 30 de novembro de 2021

Ataques e ameaças de negacionistas contra cientistas crescem no Brasil e no mundo, diz Nature

Por GyanCarlo

Em 16 de outubro de 2021

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
vv

(Foto: Divulgação)

Estudo feito pela renomada revista científica Nature aponta que "os ataques negacionistas são constantes” e que "o Brasil foi o primeiro país do mundo que realmente promoveu a pseudociência como política pública" no combate à Covid-19 | Gabriel Valery

“Espero que você morra”. Esta é a frase inicial da publicação, hoje (15), de um estudo pela renomada revista científica Nature que monitora os ataques de negacionistas e adeptos de teorias conspiratórias contra pesquisadores. Em todo o mundo, de um lado relatos de ameaças de morte e violência. De outro, uma explosão de casos de ansiedade. “Cientistas que estudam a covid-19 e estão sob o olhar público precisam de proteção contra ameaças”, anuncia o editorial da revista. “Em vários lugares do mundo o comportamento é semelhante e estamos exaustos. Os ataques negacionistas são constantes”, concorda a epidemiologista e pesquisadora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Ethel Maciel.

Passados 19 meses desde o começo da pandemia, em março de 2020 – e ao contrário do que os negacionistas ainda pregam, vacinas, máscaras e distanciamento social salvam vidas. Paralelamente, o governo negacionista de Bolsonaro, que rejeita a ciência e despreza as medidas de combate à covid, é apontado como responsável direto por centenas de milhares de mortes que seriam evitáveis. Também hoje, o país chega a 602.669 óbitos pela pandemia e é aqui que o vírus fez mais vítimas em 2021.

Negacionismo desastroso

O Brasil registrou nesta sexta-feira mais 570 mortes causadas pela covid-19 em um período de 24 horas. Também foram reportados 15.329 novas infecções, totalizando 21.627.476 casos desde o início do surto. Além das mortes, grande parte evitáveis, a doença já deixou mais de 10 milhões de pessoas com sequelas de diversos tipos.

Fonte: Brasil 247

 

 

 

 

 

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter