Anadia/AL

17 de maio de 2022

Anadia/AL, 17 de maio de 2022

“Não fazia mal a ninguém”, diz família de morador de rua morto na porta de igreja

Por GyanCarlo

Em 27 de janeiro de 2022

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
vv

Cortesia/Rádio Líder

Familiares de Edvaldo Barbosa da Silva, 39 anos, morto a pauladas na porta de uma igreja na Praça dos Curis, no Centro de Arapiraca, pedem esclarecimentos para o assassinato registrado na madrugada de quarta-feira, 26. De acordo com eles, Edvaldo, vulgo “Popó”, era uma pessoa conhecida da população do bairro e a suspeita é de que a ex-esposa dele tenha relação com o crime.

O homem foi morto enquanto dormia na porta da igreja e não teve como reagir ao ataque. Segundo testemunhas, o homicídio foi cometido pelo marido da ex-companheira dele, que usou um pedaço de madeira para golpeá-lo várias vezes. A polícia investiga o caso.

Em entrevista para a Rádio Líder, de Arapiraca, o cunhado da vítima, que teve o nome preservado, contou que Edvaldo não fazia mal a ninguém e desconfia de que o relacionamento dele com a ex-companheira tenha motivado o crime.

“Todo mundo gostava dele. Todo mundo conhecia ele. Quem ia chegar e fazer uma maldade dessa? Só pode ter sido o marido da ex-mulher dele, e ela que andava com ele. Já tem umas duas vezes que tentam matá-lo, mas ele se esquivava”, afirmou.

“Nós vimos ele anteontem na praça da igreja, estava brincando, alegre, com a caixinha dele e tudo. Acho que foi a ex-mulher que quis tirar a vida dele. Acho que já vinham seguindo ele. A gente da família suspeita disso”, continuou o cunhado.

A irmã destacou que Edvaldo era viciado em drogas e vivia em situação de rua, porém passava alguns dias com ela. “Quando ele ia para perto de mim, ficava quatro ou cinco dias, depois voltava para a rua. Ele só cheirava e bebia cachaça. Ele trabalhava, lavava carro, moto, quem chamasse ele para trabalhar, ele ia. Tive contato na última segunda, às 11h, aí recebi a notícia da morte”, disse.

Câmeras de segurança instaladas na região podem ajudar a polícia a identificar o autor do homicídio. Quem tiver informações sobre o caso pode entrar em contato com as autoridades de segurança pelo número 181, do Disque Denúncia. A Delegacia de Homicídios de Arapiraca está à frente da investigação.

Fonte: TNH1

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter