Anadia/AL

17 de maio de 2022

Anadia/AL, 17 de maio de 2022

Sem água, moradores do Jacintinho voltam a fechar avenida

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 13 de maio de 2022

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
protesto-feirinha-no-jacintinho-falta-de-agua-moradores-16-scaled

Foto: Reprodução

Por Letícia Pascoalino | Já é a segunda vez esta semana que protestos são organizados para reclamar sobre o problema. O trânsito na região está complicado - 19:05

Moradores do Jacintinho voltaram a fechar, nesta sexta-feira, 13, a Avenida Cleto Campelo, nas imediações do Ginásio Arivaldo Maia, para protestar contra falta d’água no bairro. A via foi fechada nos dois sentidos e o trânsito na região está complicado.

Essa já é a segunda vez nesta semana que os populares fecham a rua para chamar a atenção sobre o problema. De acordo com os manifestantes, após o primeiro protesto, a água chegou nas torneiras por algumas horas, mas faltou novamente.

Meire Matias disse que já faz 15 dias que uma parte da Feirinha do Jacintinho está com o abastecimento de água deficiente. “Há uns 15 dias que a maior parte do tempo não temos água aqui, aí chega por algumas horas e falta novamente. E quando chega vem amarelada, mas a conta, essa chega todo fim de mês. Eu moro há 35 anos aqui e nunca fiquei tanto tempo nessa situação. Eu tenho criança e um idoso recém-operado em casa. Está muito complicado”, afirmou a moradora.

Militares do Batalhão da Polícia de Eventos (BPE) estão no local. O Gerenciamento de Crises da Polícia Militar foi acionado.

Alagoas 24horas entrou em contato com a BRK, empresa distribuidora de água e também com a Casal, responsável por produzir a água. As empresas afirmaram que técnicos estão no local analisando emergencialmente a situação.

A BRK e a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) informam que a situação do Jacintinho está sendo analisada emergencialmente neste momento. As equipes estão em campo para verificar o funcionamento dos sistemas produtores e de distribuição de água da região e investigam as possíveis causas da instabilidade no abastecimento.

Fonte: Alagoas 24 Horas

 

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter