Anadia/AL

13 de julho de 2024

Anadia/AL, 13 de julho de 2024

Lula faz apelo à ONU pelo fim do conflito em Gaza: “Carnificina”

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 1 de março de 2024

Lula

Ricardo Stuckert/Presidência da República

Por Daniela Santos e Isabella Cavalcante 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez um discurso durante a 8ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), nesta sexta-feira (1º/3). Na oportunidade, o mandatário defendeu ações concretas para cessar as hostilidades na Faixa de Gaza, palco do conflito entre Israel e Hamas.

O chefe do Executivo sugeriu a elaboração de uma moção da Celac pedindo o fim imediato do que chamou de “genocídio” em Gaza.

Além disso, ele solicitou que o secretário-geral da ONU, António Guterres — que está presente no evento —, e o governo japonês, que assume a presidência do Conselho de Segurança da organização nesta sexta, pautem o tema com urgência.

“A indiferença da comunidade internacional é chocante. Quero aproveitar a presença do secretário-geral da ONU, meu companheiro António Guterres, para propor uma moção da Celac pelo fim imediato desse genocídio. O secretário-geral pode invocar o artigo 99 da Carta da ONU para levar à atenção do Conselho o tema que ameaça a paz e a segurança internacional”, afirmou o presidente.

O artigo citado pelo petista prevê que o secretário-geral pode chamar a atenção do Conselho para qualquer assunto que possa ameaçar a “manutenção da paz e da segurança internacionais”.

Lula pede urgência no Conselho de Segurança da ONU

O presidente brasileiro falou diretamente ao governo japonês, pedindo urgência no tema. “Peço aos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU que deixem de lados suas diferenças e ponham fim a essa matança”, apelou.

“Eu quero terminar dizendo para vocês que a nossa dignidade e humanidade estão em jogo. Por isso, é preciso parar a carnificina em nome da sobrevivência da humanidade, que precisa de muito humanismo”, finalizou.

Após a cúpula da Celac, o presidente se reunirá com representantes da Colômbia, do Chile e do México para discutir a situação da Faixa de Gaza. Ele também tem um encontro marcado com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Ataque na fila da comida

Nessa quinta-feira (29/2), o Hamas acusou Israel de matar mais de uma centena de pessoas durante a distribuição de comida na Faixa de Gaza.

O Ministério da Saúde de Gaza informou ainda que 760 pessoas ficaram feridas após soldados israelenses terem disparado contra a população palestina.

“O governo Netanyahu volta a mostrar, por ações e declarações, que a ação militar em Gaza não tem qualquer limite ético ou legal. E cabe à comunidade internacional dar um basta para, somente assim, evitar novas atrocidades. A cada dia de hesitação, mais inocentes morrerão”, diz a nota.

Redação com Metrópoles

Galeria de Imagens