Anadia/AL

13 de julho de 2024

Anadia/AL, 13 de julho de 2024

Quase 20% das empresas do setor de alimentos operam em prejuízo, estima Abrasel/AL

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 12 de março de 2024

Counter with white plate with food counter at the hotel. Sistem All inclusive in Turkey

Shutterstock

Em Alagoas, quase um quinto das empresas do setor de bares e restaurantes registraram prejuízo em janeiro, um crescimento de 5% em relação ao mês de dezembro. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas (Abrasel/AL), nesta segunda-feira (11).

40% das empresas operaram em estabilidade e 43% apresentaram lucro. Ainda sobre o resultado do mês, 41% dos bares e restaurantes tiveram desempenho menor em janeiro do que em dezembro.

O levantamento também aponta que 54% das empresas que abriram (69% ficaram de portas abertas no Carnaval) disseram ter tido um aumento no faturamento em relação ao Carnaval do ano passado. Outros 15% tiveram um desempenho igual ao de 2023 e 31% ficaram abaixo.

“Em mais um mês observamos uma grande quantidade de empresas ainda operando no prejuízo, ainda consequência do que ocasionou a pandemia. Porém, o Carnaval nos trouxe boas notícias: 54% das empresas tiveram aumento no faturamento em relação ao mesmo período no ano passado. Isso traz esperança para o setor, fazendo com que o empresário sinta-se mais forte e motivado para continuar trabalhando e fortalecendo cada vez mais nosso segmento”, disse Marcus Batalha, presidente da Abrasel/AL.

Ainda de acordo com a pesquisa, 36% dos estabelecimentos não conseguiram aumentar os preços nos últimos 12 meses, enquanto 53% realizaram reajustes conforme ou abaixo da inflação. Apenas 11% dos bares e restaurantes têm conseguido aumentar seus preços acima da inflação.

Outros 35% das empresas têm dívidas em atraso. Dessas, 67% devem impostos federais, 35% impostos estaduais, 26% empréstimos bancários, 24% encargos trabalhistas e previdenciários, 24% serviços públicos (água, gás, energia elétrica), 24% estão com o aluguel atrasado. 22% taxas municipais e 22% devem a fornecedores de insumos.

A pesquisa foi realizada pela Abrasel com empresários do setor entre os dias 19 e 26 de fevereiro em Alagoas.

*Redação com Cada Minuto 

Galeria de Imagens