Anadia/AL

13 de julho de 2024

Anadia/AL, 13 de julho de 2024

Acusado de matar mulher com pedrada na cabeça se apresenta a polícia de SE e é liberado

Ele se identificou como suspeito do feminicídio que ocorreu no último dia 30 de junho, no município de Piaçabuçu, em Alagoas

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 3 de julho de 2024

PLC

Foto: Reprodução

Por TV Atalaia

O suspeito de matar sua companheira com uma pedrada na cabeça, José Cleonaldo Santana dos Santos, de 25 anos, se apresentou à Central de Flagrantes no bairro Santos Dumont, em Aracaju (SE), durante a tarde desta terça-feira (2). Ele se identificou como suspeito do feminicídio que ocorreu no último dia 30 de junho, no município de Piaçabuçu, em Alagoas.

José Cleonaldo, que estava foragido desde o ocorrido, detalhou ao delegado que eles estavam na casa de parentes, quando ele chamou a companheira, Erlane Adelino da Silva, de 32 anos, para ir dormir e ela se negou. A negativa dela fez com que iniciasse a discussão, as outras pessoas presentes saíram do local e ficou apenas ele, a mulher e sua cunhada.

De acordo com o acusado, a discussão foi piorando e Erlane havia tentado agredi-lo, para se defender, pegou um parelelepípedo e acertou na cabeça dela. A mulher caiu agonizando e ele se evadiu do local. A cunhada também fugiu.

A Polícia Civil de Sergipe informou que após ser ouvido, ele foi encaminhado para casa de um familiar na Zona Norte de Aracaju, porém não havia ninguém presente, então retornaram para a Central. Devido ao fato de não existir um mandado de prisão em aberto, José Cleonaldo foi liberado.

A TV Atalaia, emissora de SE, entrevistou o homem que alegou estar arrependido e que iria pagar a ‘cota’. “Eu cometi um delito. Foi sem querer, né?! Matei minha mulher, vou pagar a cota e já era. Ela me agrediu, falou mal de mim, me bateu, perdi a cabeça e pronto”., disse o suspeito.

Segundo José, a pedra usada no homicídio ficava atrás de uma porta da casa e ninguém o teria visto quando a acertou na cabeça. “O relacionamento era bom. Tudo ia bem. Estou arrependido de cometer o delito. A briga foi por causa da cachaça dela. Ela não estava com raiva de mim. Veio me bater e o final foi isso daí. Queria dormir, chamava ela e do nada surtei e aconteceu isso”, completou.

Relembre o caso

Erlane Adelino da Silva foi morta após ser atingida na cabeça por um paralelepípedo durante uma discussão com o companheiro, no município de Piaçabuçu, no final da noite de domingo (30).

O feminicídio aconteceu em via pública, no bairro Brasília, considerada área central da cidade. Segundo a polícia, a mulher estava festejando com amigos, quando o seu companheiro apareceu e mandou ela parar de beber.

Informações do Instituto Médico Legal (IML), dão conta de que a vítima morreu por conta do traumatismo cranioencefálico (TCE), por causa do impacto da pedrada.

Redação com Diário Arapiraca

Galeria de Imagens