Anadia/AL

18 de maio de 2024

Anadia/AL, 18 de maio de 2024

AL reduz em 48% crimes violentos desde início da série histórica

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 19 de janeiro de 2024

vv2

Edvan Ferreira/ Agência Alagoas

Por: Mariane Rodrigues

O governo de Alagoas destacou ainda que o segundo semestre de 2023 foi menos violento em Alagoas que o primeiro.
A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL) divulgou, nesta quinta-feira (18), que o estado reduziu em quase 50% o número de homicídios registrados em 2023, se comparado com as estatísticas de 2012, quando foi iniciada a série histórica.

Em 2012, segundo os dados do órgão, foram registrados 2.187 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), como são chamados os homicídios. Em contrapartida, em 2023, 11 anos depois, esse número caiu para 1.129 casos. A redução precisa é de 48%.

Mas se comparar incluindo as mortes por intervenções policiais a quantidade de crimes violentos letais aumenta: em 2023 foram 1.197 e em 2012 foram 2.240.

Ainda de acordo com a SSP, o ano de 2023 foi o segundo da série histórica que menos teve assassinatos. Ele ficou atrás apenas de 2019.

Em relação a 2022, os dados do Núcleo de Estatísticas e Análise Criminal (Neac), do Governo de Alagoas, apontam que caiu em 1% a quantidade de CVLI em Alagoas no ano passado. Em 2022, foram 1.137, oito homicídios a mais que em 2023.

O governo de Alagoas destacou ainda que o segundo semestre de 2023 foi menos violento em Alagoas que o primeiro. Foram 582 nos seis primeiros meses do ano passado e 545 nos seis últimos, uma redução de 6%.

Feminicídios

No ano passado, 19 mulheres foram mortas por feminicídios em Alagoas. Com isso, houve uma redução de 39%, já que, de acordo com o Neac, em 2022 o número de vítimas foi 31. De acordo com o secretário de Gestão Interna, José Carlos André dos Santos, 2023 também foi o ano com menor índice desse tipo de crime desde o ano de 2012.

Mandados de prisão

Durante a divulgação dos dados, a Secretaria de Segurança Pública falou sobre as operações realizadas pela pasta para o cumprimento de mandados de prisão expedidos pela Justiça. O enfoque das ações, segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Gustavo Xavier, foram para os foragidos da Justiça por vários anos.

Segundo os dados apresentados, a Polícia Civil de Alagoas cumpriu no ano passado 964 mandados de prisão. Dessa quantidade, 385 foram contra acusados e condenados por homicídio; 190 contra integrantes de organização criminosa; 108 contra acusados de estupro de vulnerável e 21 contra estupro; 66 contra roubos; 62 contra traficantes; 10 contra aqueles apontados por latrocínio; 7 contra feminicidas e outros 115, cuja classificação não foi definida pelo órgão.

Gustavo Xavier elenca ações que, segundo ele, contribuíram para os números, considerados pelo delegado-geral, como positivos.

“Um grande investimento que renova nosso aparato logístico, como a inauguração de um Cisp de R$ 17 milhões, com estrutura, armamentos, com mais de 60 salas, com ambiente salubre, estrutura digna e que motiva muito os integrantes da segurança pública. Além disso, alguns feitos como a retirada de veículos de todas as delegacias. Foram 1000 veículos na delegacia de Arapiraca, um verdadeiro lixo, que foi resolvido e trouxe um ambiente limpo, seguro e salubre, não só para os policiais, como a população em geral. Além da retirada dos presos das delegacias, porque a atividade principal da polícia civil é investigar não tomar conta de presos. Com isso, a Polícia Civil focou mais em prender e investigar”, considerou o delegado-geral.

O secretário de Segurança Pública de Alagoas, Flávio Saraiva, reforçou a percepção do chefe da Polícia Civil e citou a entrega do 16º Cisp. “que abriga o Bope, o grupamento de salvamento aquático do corpo de bombeiros e, em breve, teremos um posto de identificação de registro civil”, considerou o secretário.

Apreensão de armas

A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas divulgou também que aumentou o número de armas apreendidas ente 2022 e 2023. No primeiro, foram apreendidas 1.347 e no segundo 1.528. Enquanto a apreensão de drogas diminuiu: em 2022 foram 2.550 toneladas e em 2023 houve a apreensão de 2.122 toneladas de entorpecentes.

O estado contabilizou ainda em 2023: 5.688 roubos a transeuntes, 125 roubos a residências, 363 roubos a carros de passeio, 1.432 roubos a motocicletas e 14 assaltos a transportes coletivos.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronal Paulo Amorim, ressaltou durante a divulgação dos dados a Segurança Pública tem trabalhado com integração entre as polícias Militar e Civil.

“Trabalhamos juntos, com nossas inteligências unidas, dialogando. Onde apresenta a mancha criminal, estamos traçando planejamento para combater o crime na área. Estamos fazendo diuturnamente o policiamento ostensivo nos quatro cantos de Alagoas, especialmente em Maceió”, afirmou o comandante.

*Redação com Gazeta web

Galeria de Imagens