Anadia/AL

21 de julho de 2024

Anadia/AL, 21 de julho de 2024

Alagoas tem alta de 15% na chegada de turistas estrangeiros em 2024

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 24 de fevereiro de 2024

Maceió

Alagoas tem alta de 15% na chegada de turistas estrangeiros em 2024 - Foto: Reprodução



Por Thiago Gomes

Alagoas é o quinto estado do Brasil e o segundo do Nordeste com maior crescimento na projeção de chegadas de viagens internacionais ao longo dos três primeiros meses de 2024, segundo dados levantados pela ForwardKeys e divulgados pelo Ministério do Turismo. A empresa espanhola é especializada na análise de dados do mercado aéreo, sobre tendências dos visitantes internacionais no país neste ano.

A relação de Unidades da Federação líderes na área é composta, na sequência, por Santa Catarina (+53%), Rio Grande do Norte (+46%), São Paulo (+25%), Rio de Janeiro (+23%), Minas Gerais (+18%), Alagoas (+15%), Pernambuco (+14%), Ceará (+11%), Paraná (+9%),e Bahia (+4%).

O destino Maceió segue atraindo turistas do Brasil e do mundo. A Decolar, empresa de viagens líder na América Latina, aponta a capital alagoana como um dos destinos mais procurados do Brasil no primeiro semestre de 2024.

A pesquisa da ForwardKeys revela que turistas europeus são os que permanecerão em média mais tempo durante viagens ao Brasil no 1º trimestre de 2024, com um total de 21 noites. O estudo prevê uma alta de 21% nas chegadas de estrangeiros no território brasileiro, na comparação com a mesma época de 2023.

Canadenses terão a segunda média mais alta de estadia (19 noites), o que é atribuído – assim como no caso da Europa – ao fato de os visitantes aproveitarem ao máximo a viagem devido às grandes distâncias para se chegar ao Brasil. Cidadãos dos Estados Unidos vão permanecer cerca de 13 noites, e turistas da América do Sul ficarão aproximadamente 10 noites, refletindo, no último caso, a maior proximidade de nações vizinhas.

A avaliação da ForwardKeys referente às regiões brasileiras procuradas pelos estrangeiros revela, por exemplo, que, no Nordeste, vai haver uma alta de 36% no número de visitantes que passarão de 6 a 8 noites nos destinos na comparação com os três meses iniciais de 2023. As estadias entre uma e duas semanas (9 a 13 noites) na região apresentam um aumento de 7%, enquanto as permanências superiores a 14 noites se mantêm estáveis (+1%).

O ministro do Turismo, Celso Sabino, avalia que os dados reforçam perspectivas de avanço nos gastos de visitantes no Brasil para este ano. “Em 2023, recebemos quase 6 milhões de estrangeiros e batemos um recorde histórico nas despesas desse público, de R$ 34,5 bilhões, superando, inclusive 2014, quando tivemos a Copa do Mundo de Futebol. O governo federal está fortemente empenhado em ampliar a nossa conectividade aérea, abrindo o espaço necessário para atingirmos a meta de receber 10 milhões de turistas de outros países até 2027”, aposta.
Quanto ao Sudeste, ocorrerá uma alta de 25% das chegadas a lazer e de 7% nos desembarques a negócios. Ainda sob o pretexto de diversão, o estudo evidencia aumento de 28% das viagens em família e de 27% dos deslocamentos de grupos na região. Já o número de casais no Sudeste crescerá 21%, alta que vai chegar a 20% no que tange a solteiros. No Sul do país, viagens em grupo e em família vão crescer ainda mais, com índices de 74% e 47%, respectivamente.

CHEGADAS – Dados da ForwardKeys indicam crescimento de 23% nas viagens com origem na América do Sul rumo ao Brasil no 1º trimestre. Já as provenientes da Europa somam um aumento de 21%, enquanto as dos Estados Unidos acumulam expansão de 15%. Quanto às regiões mais buscadas, destaque para o Sul, apresentando avanço de 34%; o Norte (+26%), o Sudeste (+23%) e o Nordeste (+13%). O Centro-Oeste, por sua vez, experimenta uma queda de 11%.

CONECTIVIDADE – O Ministério do Turismo trabalha conjuntamente com a Embratur e outras pastas do governo federal, além das próprias empresas aéreas, para ampliar a malha e a frequência de voos entre o Brasil e o resto do mundo. Segundo a Embratur, o país já voltou ao patamar pré-pandemia no que se refere à quantidade de viagens ofertadas por companhias do setor, tendo o número atingido 64,8 mil operações tanto em 2019 quanto no ano passado.

Redação C/ Gazeta Web

Galeria de Imagens