Anadia/AL

21 de julho de 2024

Anadia/AL, 21 de julho de 2024

Alunos de duas escolas estaduais vão participar da maior feira de iniciação científica do país

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 18 de fevereiro de 2024

vv2

Foto: Thiago Athaíde e Ana Paula Lins / Ascom Seduc

Duas escolas estaduais vão participar da maior feira de iniciação científica do país, a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia da Universidade de São Paulo (Febrace-USP), que acontece de 18 a 22 de março em São Paulo. As escolas estaduais Theotônio Vilela Brandão e Benedita de Castro Lima, de Maceió, levarão seus projetos para o evento, que contará ainda com o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e o Sesi representando Alagoas.

A Escola Estadual Theotônio Vilela Brandão vai apresentar o projeto Ecofloor, que consiste na produção de pias e pisos cerâmicos a partir da casca do sururu, enquanto que a Benedita de Castro Lima vai levar o trabalho sobre produção de papel à base de bagaço de cana de açúcar. As duas unidades foram selecionadas entre 500 projetos semifinalistas após serem avaliadas por uma comissão julgadora.

“Os dois projetos têm caráter de pesquisa e visão sustentável, pois lidam com resíduos, mais precisamente o bagaço da cana e a casca do sururu. Além disso, foram impulsionados por duas frentes de incentivo à iniciação científica em nosso estado, o Pibic Jr. e o programa Professor Mentor. Escolas, professores e estudantes estão de parabéns por terem desenvolvido a pesquisa na Educação Básica e representarão muito bem a nossa rede na Febrace”, avalia o superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação, Ricardo Lisboa, informando que a secretaria vai bancar as passagens e diárias das duas equipes para São Paulo.

Dos cinco projetos que representarão Alagoas, dois chegaram à condição de semifinalistas graças a credenciais ganhas em premiação da Mostra Científica de Inovação, Tecnologia e Engenharia, na Escola Estadual Professora Izaura Antônia de Lisboa, em Arapiraca, realizada em novembro do ano passado: o projeto Ecofloor e o projeto de impressão 3D e corte a laser para a produção de kits de robótica do Ifal Arapiraca.

Representando Alagoas

Professores e estudantes das duas escolas da rede estadual selecionadas destacam a importância da participação em um evento do porte da Febrace.

“Depois de muitos meses estudando e desenvolvendo o projeto Ecofloor, conseguimos obter resultados exitosos. Apresentar esses resultados na maior feira de Ciências do Brasil é gratificante, mostrando o potencial dos alunos e motivando os demais estudantes. Estamos ansiosos para representar o nosso estado e a educação pública da melhor forma”, afirma Tatiane Omena, orientadora do projeto Ecofloor, que, em 2023, venceu o Encontro Estudantil e também foi premiado na Semana Interinstitucional de Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Educação Básica (Sinpete) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

“A jornada para chegar à Febrace foi árdua, mas, com certeza, valeu a pena. A pesquisa na escola é muito valiosa, tanto para os estudantes quanto para os professores e escola como um todo. Olhando para trás, é difícil pensar que chegamos tão longe”, declara Felipe Rodrigues, orientador do projeto de produção de papel à base do bagaço de cana.

Os estudantes também estão felizes e ansiosos para apresentarem seus projetos e a rede estadual de ensino no evento. “Nunca imaginei que o nosso projeto pudesse chegar tão longe. Estou bastante empolgada e creio que essa é a primeira de várias conquistas que virão”, aposta a estudante Amanda de França Lima, da Escola Estadual Benedita de Castro Lima.

“Participar de uma feira como a Febrace é um sonho, nunca me imaginei em um evento desse porte. Estou ansioso para mostrar nosso projeto e também trocar experiências e aprender com os demais participantes”, adianta Feliphe David Oliveira.

“Estar na maior feira de ciências do Brasil é uma das melhores sensações, principalmente pelo fato de estarmos apresentando algo totalmente sustentável. Depois de tanto esforço, ter chegado à Febrace é incrível”, complementa Gabriely Barros.

*Redação com Diário Arapiraca

Galeria de Imagens