Anadia/AL

25 de maio de 2024

Anadia/AL, 25 de maio de 2024

Carros de luxo e jetski: veja balanço da Operação Hades em Alagoas

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 1 de fevereiro de 2024

WhatsApp_Image_2024-02-01_at_16.4.2e16d0ba.fill-1120x700

Jetski apreendido em Alagoas | Reprodução

✨ Por Hebert Borges
Carros de luxo, jetski, barco, avião, joias e dinheiro. Esse é o resultado parcial da Operação Hades, deflagrada nesta quinta-feira (1º), pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL). Cinquenta pessoas já foram presas em Alagoas e mais 16 estados do país.

De acordo com os dados apresentados, até o momento, além das dezenas de prisões, as equipes policiais registraram a apreensão de bens valiosos, como mais de dez carros de luxo, 60 relógios, joias, dezenas de smartphones, notebooks, tablets, aparelhos eletrônicos, um cofre e milhares em cédulas de reais e pesos colombianos.

Além disso, na operação, que segue em andamento em Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e São Paulo, também foi retirado de circulação uma embarcação, um jet-ski, armamentos, como fuzis, carabinas e pistolas, 100 quilos de drogas e uma aeronave.

Segundo o diretor de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco) da Polícia Civil, delegado Igor Diego, o avião pertence a uma empresa de táxi aéreo do Amazonas.

“Essa aeronave, em outra ocasião, já foi também flagrada como transporte de cargas e drogas. O proprietário dela, de forma suspeita, teve em um pouco espaço de tempo um crescimento financeiro muito grande, o que leva diante das investigações a acreditar que todos os valores investidos na empresa para compra de aeronaves eram advindos do crime”, afirmou ele.

Conforme as informações, foram verificadas movimentações financeiras de mais de R$ 300 milhões em contas bancárias e que muitos dos membros das duas organizações criminosas ostentavam um elevado padrão de vida.

Para o chefe-geral de Inteligência da SSP, delegado Gustavo Henrique, a operação integrada ataca o poderio financeiro dos infratores, descapitaliza e desmonetiza a atuação delinquente.

“Só assim eles vão ter uma ideia de que o crime não compensa. Eles acabam perdendo o patrimônio adquirido de forma ilícita e esse é um dos principais objetivos de toda a ação, que começou lá atrás. A partir do acompanhamento dos dois casais, que coordenavam o tráfico especialmente em bairros de Maceió, nós conseguimos chegar aos distribuidores de drogas em estados como São Paulo e Pará e aos fornecedores que são de regiões fronteiriças com os maiores produtores de drogas do mundo”, disse.

O delegado afirmou ainda que todos os bens apreendidos já foram sequestrados através de decisão judicial. “E com a conclusão das investigações também iremos pedir a perda definitiva dos materiais possivelmente adquiridos de forma ilícita.”

✨ Redação com Gazeta Web

Galeria de Imagens