Anadia/AL

22 de junho de 2024

Anadia/AL, 22 de junho de 2024

China inicia exercícios militares e cerco a Taiwan

Manobras são 'forte punição pelos atos separatistas' no território, anunciou a agência de notícias estatal Xinhua

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 23 de maio de 2024

dplç

Foto: Reprodução

A China iniciou, na manhã desta quinta-feira (23) dois dias de exercícios militares em torno da ilha de Taiwan, como “forte punição pelos atos separatistas” naquele território, anunciou a agência de notícias estatal Xinhua.

Os exercícios ocorrem três dias após Lai Ching-te tomar posse como novo presidente da ilha autogovernada. A China reivindica Taiwan como parte do seu território e rotulou Lai como “um separatista perigoso” que levará “guerra e declínio” para a ilha.

Segundo a Xinhua, o porta-voz militar Li Xi disse que os exercícios se concentrariam em “patrulha conjunta de prontidão para combate marítimo-aéreo, apreensão conjunta do controle abrangente do campo de batalha e ataques de precisão conjuntos em alvos-chave”.

Li acrescentou que os exercícios “envolvem a patrulha de embarcações e aviões se aproximando de áreas ao redor da ilha de Taiwan e operações integradas dentro e fora da cadeia de ilhas para testar as capacidades conjuntas de combate real das forças do comando”.

O porta-voz disse que os exercícios também serviriam como “forte punição pelos atos separatistas das forças da ‘independência de Taiwan’ e um aviso severo contra a interferência e provocação por forças externas”, relatou a Xinhua.

A agência de notícias de Pequim informou que os exercícios também ocorreriam em torno das ilhas de Kinmen, Matsu, Wuqiu e Dongyin.

Provocações

O Ministério da Defesa de Taiwan condenou “firmemente as ações e provocações irracionais que minam a paz e a estabilidade regionais”.

“Mobilizamos forças marítimas, aéreas e terrestres para responder e defender a liberdade, democracia e soberania” da ilha, acrescentou.

Em seu discurso de posse, Lai pediu à China para interromper “a intimidação política e militar contra Taiwan” e “manter a paz e estabilidade”.

A última vez que a China anunciou exercícios militares semelhantes em torno de Taiwan foi em agosto, por ocasião de uma escala de Lai nos Estados Unidos durante uma viagem ao Paraguai. Naquela ocasião, a imprensa estatal também indicou que o objetivo das manobras era testar a capacidade do Exército de “tomar o controle de espaços aéreos e marítimos” e de lutar “em condições de combate reais”.

Tanto Lai quanto sua antecessora Tsai Ing-wen defenderam firmemente o modelo democrático da ilha contra Pequim, que respondeu aumentando a pressão política e militar contra Taipé.

Embora tenha pouco reconhecimento diplomático internacional, Taiwan se tornou um ator fundamental da economia mundial como centro de fabricação de tecnologia, principalmente de semicondutores. Além disso, o estreito que separa a ilha da China continental é uma das principais vias do comércio marítimo internacional, por onde passam mais de 50% dos contêineres transportados no mundo.

Fonte: Gazeta Web

]

Galeria de Imagens