Anadia/AL

22 de junho de 2024

Anadia/AL, 22 de junho de 2024

Crescimento de 7,70% do PIB de Alagoas deixa estado em destaque nas economias do Nordeste

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 14 de maio de 2024

vp

Foto: Reprodução

O Produto Interno Bruto de Alagoas registrou um crescimento nominal de 7,70% em 2023. Em termos reais, a variação positiva chegou a 4,08%. O resultado colocou o estado à frente de economias da região Nordeste, como Ceará (+2,4%), Bahia (+1,3%) e Pernambuco (+1,3%), todos em termos reais. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (13), pela Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag). As notas técnicas com os indicadores traduzidos e ilustrados em gráficos estão disponíveis no portal Alagoas em Dados. Para ter acesso, basta acessar: dados.al.gov.br

“O notável crescimento do PIB de Alagoas em 2023, superando outras economias regionais, foi resultado direto do empenho e das políticas eficazes implementadas pela gestão do governador Paulo Dantas. Este avanço refletiu não apenas números, mas o impacto positivo na vida dos alagoanos, criando oportunidades e fortalecendo a economia local de maneira sustentável”, destacou a secretária Paula Dantas.

A nota técnica também apontou que o crescimento de Alagoas esteve acima do resultado do Brasil, divulgado em 2,9% pelo IBGE. A estimativa do PIB alagoano foi calculada pela Seplag, por meio da Superintendência de Análises e Cenários (Sinc). O resultado em 2023 levou em consideração três setores da economia: indústria (+7,12%), serviços (+4,74%) e agropecuária (0,66%).

Na indústria, setor que teve a maior variação positiva de 2023, o destaque foi para a indústria extrativa, com crescimento de 29,90%. Esta categoria é responsável por investimentos em recursos da natureza, como minerais, petróleo e gás. O minério de cobre aparece como um dos itens com maior crescimento no estado.

Ainda de acordo com as informações disponíveis no Portal Alagoas em Dados, o setor de serviços foi o segundo maior que obteve alta na economia alagoana, com uma variação de +4,74%. A categoria “alojamento e alimentação” teve destaque com crescimento de 24,52%, que se refere a segmentos específicos como hotéis, pousadas, restaurantes, bares, lanchonetes e demais serviços de alimentação, bebidas e hospedagem.

Outros destaques em serviços foram as categorias da saúde e educação. O Programa Maratona de Cirurgias, criado pelo Governo de Alagoas para zerar a fila de espera por procedimentos cirúrgicos, teve influência positiva nos resultados econômicos. Da mesma forma, na área da educação, o aumento do número de matrículas da rede pública também contribuiu para uma variação positiva no setor de serviços.

A agropecuária foi a única que se manteve estável em 0,66%. A economista e servidora da Seplag, Juliana Carla, aponta as questões climáticas e de pragas, como principais causas para a estabilidade apresentada. “A produção de soja e milho alcançou recordes históricos na safra, o que equilibrou a perda no trigo, laranja e arroz, que não alcançaram os níveis desejados de produção”, explicou Juliana.

Fonte: TNH1

Galeria de Imagens