Anadia/AL

21 de julho de 2024

Anadia/AL, 21 de julho de 2024

Depois de vender a Sabesp, Tarcisio quer agora atacar as aposentadorias dos servidores paulistas

Militares, professores e profissionais estão na mira do governador | 09:02 hs

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 1 de julho de 2024

v

Foto: Fábio Tito/g1

A administração do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, está estudando a implantação do regime de capitalização na SPPREV, o sistema de previdência dos servidores estaduais. A mudança, caso se concretize, impactaria especialmente categorias como policiais civis e militares, além de profissionais da Saúde e da Educação, que poderiam ter que aumentar suas contribuições previdenciárias. A informação foi divulgada pelo jornalista Gustavo Côrtes, do Estado de S. Paulo, que teve acesso aos resultados de um levantamento realizado pela SPPREV.

Segundo a Secretaria de Gestão e Governo Digital, o estudo ainda é preliminar e qualquer mudança requereria estudos mais detalhados, tanto do custo de transição para o regime de capitalização quanto das mudanças na gestão dos benefícios previdenciários. Para implementar a nova política, seria necessário aprovar um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o que atualmente não está previsto no Palácio dos Bandeirantes.

O regime atual da SPPREV é de repartição, onde as contribuições mensais são usadas para pagar as despesas imediatas com aposentadorias e pensões dos inativos. Este sistema resultou em um déficit de R$ 33,2 bilhões para o tesouro estadual em 2023. A mudança para um regime de capitalização, onde as contribuições seriam investidas em ativos financeiros, aumentaria o déficit em 21% nos próximos 30 anos antes de começar a apresentar superávit a partir de 2064.

*Redação com Brasil 247

Galeria de Imagens