Anadia/AL

14 de junho de 2024

Anadia/AL, 14 de junho de 2024

Hospital de Emergência do Agreste realiza primeira captação de órgão para transplante

Procedimento ocorreu neste sábado (4),depois que um paciente teve morte encefálica e a família autorizou a doação | 17:01 hs

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 5 de maio de 2024

vv1

Divulgação

O Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca, realizou, de forma inédita, neste sábado (4), a captação do primeiro órgão para transplante. O procedimento ocorreu depois que um paciente internado na unidade hospitalar teve a morte encefálica confirmada, levando a família a autorizar a doação do fígado.

Com isso, a partir de agora, o HEA passa a integrar o rol de hospitais alagoanos que realiza a captação de órgãos para transplantes. Para isso, a equipe multidisciplinar da unidade cumpriu diversas exigências do Ministério da Saúde (MS) e, nos últimos dois anos, trabalhou para seguir as normas e protocolos preconizados.

De acordo com a coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da unidade hospitalar, a enfermeira Joelma Araújo, durante este tempo houve muito empenho de toda a equipe e conscientização da população. “Só chegamos aqui graças ao trabalho em equipe, bem como, pelo apoio e perseverança da Direção do HEA”, afirmou.

Segundo Joelma Araújo, as identidades do doador do órgão captado, bem como do receptor, serão mantidas em sigilo, conforme prevê o artigo 52 do Decreto n; 9.195/97, que regulamenta a Lei nº 9.434/97, conhecida como Lei dos Transplantes. “Ela prevê que, neste caso, temos que manter o sigilo, com a finalidade de proteger ambas as partes do ponto de vista ético, jurídico e emocional, uma vez que a doação de órgãos é um ato voluntário e altruísta”, frisou.

A coordenadora da Central de Transplantes de Alagoas, Daniela Ramos, enfatizou que todos os atores da saúde pública do Estado expressam imensa gratidão e alegria com o empenho do HEA na sua primeira captação para doação de órgãos. De acordo com ela, este marco é um passo significativo para ampliar a rede de apoio a pacientes que aguardam por transplantes de órgãos no Estado.

“A atuação conjunta da OPO [Organização de Procura de Órgãos] e da CIHDOTT do HEA foi fundamental para a realização desse feito. A expertise e o profissionalismo da nossa equipe de captação de órgãos, que se deslocou até o hospital, garantiram que todo o processo ocorresse com a máxima eficiência e respeito à vontade da família doadora”, frisou Daniela Ramos.

O secretário de Estado da Saúde, Gustavo Pontes de Miranda, enalteceu o trabalho técnico e eficiente realizado pela Central de Transplantes de Alagoas, bem como pela OPO e a CIHDOTT do HEA. Isso porque eles atuaram nos últimos dois anos para que, neste sábado, a maior unidade hospitalar do interior de Alagoas realizasse a primeira captação de órgãos para transplante com total êxito.

“O fortalecimento da política estadual de captação de órgãos para transplantes tem sido um dos pilares de nossa gestão à frente da Sesau [Secretaria de Estado da Saúde] e, como prova, está o incentivo que dispensamos às equipes multidisciplinares que atuam neste processo que salva tantas vidas. Por isso, em nome da nossa gestão e do governador Paulo Dantas, expressamos os nossos agradecimentos aos profissionais envolvidos, porque demonstraram, na prática, que é possível expandir a captação de órgãos para o interior do Estado”, sentenciou o gestor da saúde estadual.

*Redação com Diário Arapiraca

Galeria de Imagens