Anadia/AL

23 de maio de 2024

Anadia/AL, 23 de maio de 2024

Justiça condena miliciano e mulher que mandou matar o marido para receber indenização do seguro de vida

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 26 de janeiro de 2024

morte

O engenheiro Wagner Franco foi morto por um miliciano a pedido da mulher, a dentista Karina (D) — Foto: TV Globo / Reprodução

A Justiça do Rio condenou nesta quinta-feira o miliciano Anderson no Nascimento Marinho, o Thor, a 19 anos de prisão, e da dentista Karina Lepre Franco, a 17 anos de prisão, pela morte do engenheiro Vagner Franco. Os dois foram condenados pelo crime de homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. O promotor de Justiça Fábio Vieira dos Santos recorreu da sentença, para aumentar a pena dos réus.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Estado do Rio, Karina, que era esposa da vítima, contratou o miliciano Anderson, para matar seu marido. O objetivo do crime era obter R$ 200 mil de indenização de um seguro de vida. Karina conheceu Thor quando ele foi ao seu consultório para cobrar taxas impostas pela milícia da comunidade. O miliciano é acusado de integrar a milícia da comunidade do Terreirão. A dentista pagou R$ 10 mil a Anderson para a execução do crime.

O crime foi cometido em 2019. A vítima era gerente da Shell Brasil e desapareceu no dia 7 de fevereiro, após sair do consultório de Karina na comunidade do Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. Na época dos fatos, as investigações revelaram que Franco foi levado para a Região dos Lagos, onde o miliciano foi criado. A família do executivo chegou a anunciar o desaparecimento dele. Depois de três dias, o corpo de Vagner foi encontrado com marcas de tiros e o abdômen cortado, numa praia de Rio das Ostras.

Karina foi presa em junho de 2020. Em depoimento à policia, ela disse que queria se separar do engenheiro, mas ele não aceitava. Eles tinham uma filha de 18 anos.

Redação com Extra Online

Galeria de Imagens