Anadia/AL

21 de julho de 2024

Anadia/AL, 21 de julho de 2024

Kamala Harris fortalece posição como alternativa na corrida pela Casa Branca

Eleição | 11:49 hs

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 10 de julho de 2024

vv1

Kevin Dietsch/ Getty Images

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, está sendo cada vez mais reconhecida como uma forte candidata à eleição presidencial de 2024, diante das crescentes preocupações com a capacidade física e mental do atual mandatário, Joe Biden.

Diversos líderes democratas veem Harris como a possível sucessora de Biden, caso ele opte por não concorrer novamente.

Com o respaldo de figuras influentes do partido e um aumento no apoio de financiadores democratas, as possibilidades de Harris estão sendo seriamente avaliadas diante de um possível embate eleitoral contra o candidato republicano, Donald Trump.

Durante seu mandato como vice-presidente, que já ultrapassa três anos, Harris enfrentou desafios como alta rotatividade de pessoal e resultados mistos em suas iniciativas políticas. Contudo, suas posições firmes sobre direitos reprodutivos e sua popularidade entre os jovens eleitores têm elevado seu perfil político.

Apesar de um começo tumultuado, a vice-presidente parece ter consolidado sua posição dentro do governo Biden, com membros de sua equipe de campanha demonstrando confiança em sua capacidade de liderança.

Pesquisas recentes apontam para uma disputa acirrada entre Harris e Trump, com alguns levantamentos indicando que ela poderia apresentar um desempenho superior ao de Biden.

Uma pesquisa específica da CNN, datada de 2 de julho, apresenta Harris apenas dois pontos percentuais atrás de Trump, uma diferença que está dentro da margem de erro.

Além disso, eleitores independentes e moderados de ambos os partidos mostram uma tendência de preferir Harris em comparação a Trump.

O congressista Adam Schiff (D) expressou à NBC News: “Creio que Harris tem grandes chances de ganhar decisivamente. Porém, antes de decidirmos definitivamente quem será nosso candidato, o presidente Biden precisa esclarecer seus próprios planos.”

“Ou Biden deve vencer de forma convincente ou passar o bastão para alguém que possa”, acrescentou Schiff.

As pesquisas internas da campanha de Biden reforçam essa percepção, sugerindo que Harris possui chances comparáveis às de Biden de vencer Trump.

Doadores republicanos também têm se pronunciado, com alguns mostrando preferência por Biden continuar na corrida, por considerarem Harris uma adversária mais formidável.

Crescem preocupações no Partido Democrata após debate

O desempenho pouco inspirador do presidente Biden no recente debate presidencial com Donald Trump tem levantado preocupações internas no Partido Democrata, com líderes e financiadores questionando sua capacidade de ocupar o cargo por mais quatro anos.

Apesar dos apelos crescentes para que se retire da campanha de reeleição, Biden reafirmou determinadamente sua intenção de concorrer novamente.

Com quatro meses até o dia da eleição, é notável a queda nas pesquisas nacionais de Biden após o debate de 27 de junho. Uma pesquisa do New York Times/Siena College aponta que ele agora está atrás de Trump por uma margem de 5 a 6 pontos entre os eleitores prováveis.

“O caminho de Biden para um segundo mandato já era estreito antes do debate, de acordo com pesquisas recentes em estados decisivos para o Colégio Eleitoral”, declararam estrategistas do UBS em uma nota dominical.

Eles acrescentaram que novas pesquisas estado a estado são esperadas nos próximos dias e semanas.

Até que Biden anuncie uma decisão definitiva sobre sua possível retirada, o UBS considera prematuro especular excessivamente sobre possíveis confrontos entre Trump e outros candidatos, incluindo a vice-presidente Harris. Os estrategistas preveem que ambos os partidos darão prioridade à mobilização dos eleitores em novembro como elemento chave para o resultado da eleição.

Os estrategistas do UBS sugerem: “Os democratas devem engajar os eleitores mais jovens, enquanto os republicanos devem motivar aqueles que preferem Trump a votar de forma consistente no dia da eleição.”

O UBS revisou suas previsões de resultado eleitoral após dez dias de “atividade de campanha atípica”, estimando agora uma probabilidade de 45% para uma “varredura vermelha”, na qual Trump vence com um Congresso republicano unificado.

As probabilidades de uma vitória de Biden com um Congresso dividido são agora de 30%, as chances de Trump vencer com um Congresso dividido estão em 15%, e a possibilidade de uma “varredura azul”, com Biden vencendo e um Congresso democrata unificado, é de 10%.

*Redação com investing

Galeria de Imagens