Anadia/AL

25 de maio de 2024

Anadia/AL, 25 de maio de 2024

Lula fala em “guerra” contra o garimpo ilegal e promete usar “todo o poder que a máquina pública pode ter”

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 9 de janeiro de 2024

VV2

Ricardo Stucker/ PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou uma reunião ministerial na manhã desta terça-feira (9) para abordar a crise humanitária na Terra Indígena ianomâmi, agravada pela persistência da pandemia de Covid-19 e ainda à espera de uma solução definitiva. No encontro, segundo o G1, Lula afirmou que a questão dos ianomâmi, e dos indígenas em geral, será tratada como “questão de Estado” e que irá empregar “todo o poder que a máquina pública pode ter” para garantir os direitos dessas populações.

“Porque não é possível que a gente possa perder uma guerra para garimpo ilegal. Que a gente possa perder uma guerra para madeireiro legal. Perder uma guerra para pessoas que estão fazendo coisas contra o que a lei determina”, disse Lula. “Esta reunião aqui é para definir, de uma vez por todas, o que o nosso governo vai fazer para evitar que os indígenas brasileiros continuem sendo vítimas de massacres, de vandalismo, da garimpagem, e das pessoas que querem invadir as áreas que estão preservadas e que têm dono, que são os indígenas, e que não podem ser utilizadas”, completou.

A Terra Indígena ianomâmi teve a emergência de saúde pública decretada pelo governo há quase um ano, em 20 de janeiro de 2023 e, desde então, Lula tem demonstrado uma preocupação contínua com a situação. O território, localizado nos estados de Roraima e Amazonas, tem enfrentado os impactos do garimpo ilegal. O governo destacou a criação de um centro de operações de emergência em saúde pública na região em 2023, com mais de 13 mil atendimentos de saúde realizados e o envio de 4,3 milhões de unidades de medicamentos e insumos.
 
*Redação com Brasil 247 

Galeria de Imagens