Anadia/AL

21 de julho de 2024

Anadia/AL, 21 de julho de 2024

“Netanyahu promove carnificina e seu governo tem elementos nazistas”, diz Michel Gherman

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 25 de fevereiro de 2024

bozo

Michel Gherman Jair Bolsonaro e Benjamin Netanyahu (Foto: Arquivo Pessoal | Fernando Frazão/ABr)

Michel Gherman, professor e analista político, concedeu uma entrevista à TV 247 na qual fez declarações contundentes sobre o governo de Israel e a liderança de Benjamin Netanyahu. Gherman, conhecido por suas análises sobre questões políticas e sociais, criticou severamente as políticas adotadas pelo governo israelense, descrevendo-as como promotoras de carnificina e com elementos nazistas.

Durante a entrevista, Gherman destacou a tentativa da extrema direita de Israel de vincular posicionamentos em favor da Palestina como sendo pró-Hamas e pró-terrorismo, ressaltando que essa estratégia não obteve sucesso. Ele enfatizou que a política de Netanyahu é caracterizada pela carnificina contra o povo palestino.

O professor também apontou a elevada taxa de rejeição de Netanyahu, que alcança cerca de 80%, e mencionou a presença de forças neonazistas no governo de Israel. Ele afirmou que, caso essas forças deixem o governo, a liderança de Netanyahu estará ameaçada.

Gherman comparou a situação em Gaza a genocídios do pós-guerra e destacou a ascensão de líderes progressistas, como Luiz Inácio Lula da Silva, que ganharam apoio de judeus progressistas devido à rejeição à extrema direita, representada por figuras como Jair Bolsonaro..

Ao analisar o papel do presidente Lula, Gherman ressaltou seu potencial de mobilizar bons sentimentos e falar ao coração das pessoas, além de ser uma voz fundamental pela paz no mundo atual.

O professor expressou sua crença de que Netanyahu cairá mais cedo do que se imagina e criticou a extrema-direita por “sequestrar” o sionismo e o judaísmo. Por fim, reafirmou seu apoio a Lula e sua importância no cenário político nacional e internacional.

As declarações de Michel Gherman refletem uma visão crítica sobre o governo de Israel e a liderança de Benjamin Netanyahu, bem como destacam o papel de líderes progressistas na busca.

Redação com Brasil 247

Galeria de Imagens