Anadia/AL

14 de junho de 2024

Anadia/AL, 14 de junho de 2024

Pessoas toxicas ou falta de empatia?

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 9 de fevereiro de 2024

Tired bothered businesswoman abstracting from work refuse accept or consider report, annoyed female ceo gesturing rejecting mad business client or subordinate not looking at papers or documents

Arita

No trabalho, na faculdade, nas reuniões com amigos ou nos relacionamentos afetivos. A todo o momento você pode estar perto de alguém que nem sempre é a melhor companhia e possui atitudes ou trazem um peso que contamina o ambiente.

Toda personalidade leva a um sentimento ou comportamento de desconforto físico ou emocional, ainda assim, existem aquelas que te levam outras a estagnar ou retroceder na vida as quais chamamos pessoas tóxicas. Mas será que todas as pessoas que geram algum desconforto são realmente tóxicas? Hoje em dia vemos uma grande confusão nesta classificação, principalmente estando diante de pessoas passando por situações difíceis e se apresentam mais negativas, sem esperança ou tristes. Talvez a dor delas, nos traga desconforto já que nos coloca diante do fato de que podemos ser atingidos pelas mesmas situações. Caso seja isso o que esteja acontecendo, talvez o que falte seja a empatia.

Para saber diferenciar o conceito de pessoa tóxica da falta de empatia com o outro, é necessário descrever o que é uma pessoa tóxica, seus os principais tipos e características.

Pessoas tóxicas são aquelas que têm uma mentalidade negativa e comportamentos que prejudicam não apenas aqueles que estão ao seu redor, mas também a si mesmas. Existem muitas pessoas com este tipo de comportamento, mas podemos descrever os principais tipos:

  • Arrogante: Uma pessoa arrogante é bem diferente de uma pessoa confiante. Enquanto a arrogante ignora e desqualifica quem está a sua volta a confiante inspira.
  • Vítima: Estas são toxicas não só para si mesmas, por nunca assumirem responsabilidade por nada, estão sempre tentando encontrar culpados para aquilo que não acontece da forma como ela deseja.
  • Controladora: são pessoas que tem a falsa sensação de que controlam tudo e todos. Geralmente são muito inseguras e com isso não permitem que os outros ajam com naturalidade provocando um sentimento de incapacidade em quem está a sua volta.
  • Invejosa: A inveja é um sentimento humano que está em todos nós, porém ele se torna tóxico quando o sucesso do outro nos incomoda a ponto de querer que “ele quebre a cara.”
  • Negativa: Aquela pessoa que só consegue enxergar o copo meio vazio. Que faz o ambiente pesar no minuto que chega! Ser realista é fundamental, mas para isto é preciso encontrar um equilíbrio entre o otimismo e o negativismo.
  • Juízas: São aquelas que julgam os outros o tempo todo.
  • Fofoqueira: Com estas é preciso muito cuidado, quando elas chegam para contar algo sobre alguém, geralmente estão plantando uma semente de discórdia e assim vão minando as relações.
  • Estrela: Estas assim como os outros perfis são bastante egocêntricas, porém não se contentam em ser apenas o centro das atenções ou do Universo. Elas querem ser o próprio universo.

Se essas são as características de uma pessoa tóxica, qual a definição de falta de empatia? Geralmente se define empatia pela capacidade de “se colocar no lugar do outro”, mas ser empático é muito mais do que se colocar no lugar do outro. Se me coloca usando  meus valores, meus pontos de vista, analisarei a situação sob minha perspectiva. Para ser empático é preciso me colocar no lugar do outro sentindo e pensando como ele, para que eu realmente consiga compreender seus sentimentos, escolhas e emoções. O individualismo e a impossibilidade de adotar novos pontos de vista são traços que acabam gerando comportamentos não construtivos. Um dos aspectos que permitiram ao ser humano se separar da natureza e criar civilizações é a cooperação. A falta de empatia limita essa relação com os outros.

Algumas situações podem interferir no desenvolvimento dessa habilidade. Indivíduos que receberam pouco acolhimento ao longo da vida ou foram alvo de muitas críticas podem ter dificuldade em demonstrar empatia em suas relações. O egoísmo também prejudica o olhar empático, indivíduos muito autocentrados, que querem ser ouvidos, mas não dedicam tempo e atenção as outras pessoas, consideram apenas suas necessidades e interesses dificilmente conseguirão olhar para fora em busca dos sentimentos do outro, pois apenas suas necessidades importam.

Diante destas diferenças, podemos perceber uma grande confusão entre uma pessoa tóxica e a nossa própria falta de empatia. Uma pessoa que está passando por dificuldades ou um momento ruim e apresenta momentaneamente negatividade e tristeza pode ser considerada tóxica. No entanto, a situação aponta para a minha de dificuldade de olhar o outro para além de mim e sob a perspectiva dele, preferindo classificá-lo como tóxico ao invés de reconhecer aquilo que preciso reavaliar ou até mesmo mudar em mim.

Em um mundo polarizado como o que estamos vivendo, queria deixar um convite para que antes de rotular o outro, possamos olhar para dentro e reconhecer as nossas próprias dificuldades. Trazer a harmonia para as relações é um dever de todos! Seja um incentivador desta mudança, começando a trabalhar a sua empatia você poderá impactar outras pessoas criando assim uma corrente positiva de mudança.

*Redação com IMND

Galeria de Imagens