Anadia/AL

18 de maio de 2024

Anadia/AL, 18 de maio de 2024

Polícia Civil investiga morte de jovem após mal súbito em prova da PM

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 30 de janeiro de 2024

PM

Foto: Arquivo Pessoal

✨ Thalita Vasconcelos, Mirelle Pinheiro e Carlos Carone. 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga as circunstâncias e a causa da morte da jovem que teve um mal súbito durante o Teste de Aptidão Física (TAF) para ingresso na Polícia Militar. A advogada Gabriela Rosa dos Santos Gontijo (foto em destaque), 27 anos, passou pelas provas de seleção no domingo (28/1), quando não se sentiu bem e desmaiou. Ela foi levada às pressas ao hospital, mas morreu no dia seguinte (29/1).

Inicialmente, Gabriela foi transportada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante; de lá, acabou transferida para o Hospital Daher, no Lago Sul. A jovem chegou a ser internada na unidade de terapia intensiva (UTI), em estado gravíssimo, mas não resistiu.

A comissão de aprovados no concurso detalhou que a advogada passou mal após fazer o teste de corrida, por volta das 15h. No caso de candidatas, a performance mínima era percorrer 2,2 km em até 12 minutos. Além dessa avaliação, ocorreram as provas de barra e de flexão abdominal.


Foto: Arquivo Pessoal

Colegas lamentaram morte

Em grupos nos aplicativos WhatsApp e Telegram com concurseiras da PMDF, colegas de concurso fizeram um grupo de oração pela jovem e, após receberem a notícia da morte, lamentaram o ocorrido. “Que sentimento horrível. [Ela era] tão cheia de sonhos. Isso me quebra”, disse uma participante.

“Rogamos a todos que orem pela alma da Gabriela e para que Deus conforte a família dela. A morte é algo inevitável. Todos nascemos para encontrá-la um dia, mas ninguém nunca está preparado para isso. Hoje, perdemos uma irmã de trajetória que lutava pelo sonho de ser policial. Que Deus, em sua infinita misericórdia, possa ser o alicerce e o consolo de uma família que perde uma menina com futuro promissor pela frente. Descanse em paz, Gabriela Rosa”, escreveu outra pessoa.

Por meio de nota, a Polícia Militar do Distrito Federal informou lamentar “profundamente o ocorrido” e se solidarizou com parentes e amigos da candidata.

Redação com Metrópoles 

Galeria de Imagens