Anadia/AL

20 de junho de 2024

Anadia/AL, 20 de junho de 2024

Soldados israelenses debocham com roupas íntimas de mulheres de Gaza e publicam nas redes sociais

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 28 de março de 2024

MUNDO

Soldado é filmado brincando com roupas íntimas de vítimas do genocídio - Foto: Reprodução

Soldados israelenses têm publicado fotos e vídeos de si mesmos brincando com roupas íntimas femininas encontradas em lares palestinos, criando um registro visual dissonante da guerra em Gaza, enquanto a fome iminente intensifica o escrutínio mundial da ofensiva de Israel.

Em um vídeo, um soldado israelense senta-se em uma poltrona em uma sala em Gaza, sorrindo, com uma arma em uma das mãos e pendurando roupas íntimas de cetim branco na outra, sobre a boca aberta de um companheiro deitado em um sofá.

Em outra publicação, outro soldado está sentado em cima de um tanque segurando um manequim feminino vestido com um sutiã preto e capacete e diz: “Encontrei uma linda esposa, um relacionamento sério em Gaza, uma ótima mulher”.

Os dois vídeos gravados por soldados israelenses estão entre dezenas de publicações em que as tropas em Gaza são mostradas exibindo lingerie, manequins e, em alguns casos, ambos. As imagens de lingerie foram vistas dezenas de milhares de vezes — quase meio milhão em um caso — depois de serem republicadas por Younis Tirawi, que se descreve como um repórter palestino.

Abordado sobre as imagens que ele repostou para seus mais de 100.000 seguidores no X entre 23 de fevereiro e 1º de março, Tirawi forneceu links para as publicações originais dos soldados da Força de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês). A Reuters, então, verificou de forma independente oito imagens publicadas no Instagram ou no YouTube.

“A publicação de tais imagens é humilhante para as mulheres palestinas e para todas as mulheres”, disse Ravina Shamdasani, porta-voz do Escritório de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

A Reuters enviou detalhes das oito publicações verificadas no YouTube ou Instagram para a IDF, solicitando comentários.

Em resposta, um porta-voz enviou uma declaração dizendo que a IDF investiga incidentes que se desviam das ordens e dos valores esperados dos soldados da IDF, bem como relatos de vídeos enviados para as redes sociais.

“Nos casos em que surge a suspeita de um delito criminal que justifique a abertura de uma investigação, uma investigação é aberta pela Polícia Militar”, disse.

Redação com Uol

PUBLICIDADE

Galeria de Imagens