Anadia/AL

13 de julho de 2024

Anadia/AL, 13 de julho de 2024

[Vídeo] Operação Oplatek: penas de envolvidos podem ultrapassar 44 anos de prisão

Entre os presos estão uma agente da Polícia Civil e dois sargentos da Polícia Militar. - 12:55

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 26 de junho de 2024

Geral

Operação Oplatek prende sete pessoas da mesma família - Foto: Ascom PC/AL

A Polícia Civil, por meio da Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco), realizou nessa terça-feira (25), a operação Oplatek e prendeu preventivamente sete pessoas de uma mesma família, suspeitas de crimes contra a administração pública estadual. Entre os presos estão uma agente da Polícia Civil e dois sargentos da Polícia Militar. A investigação apontou que o esquema criminoso teve início em 2014 e movimentou mais de R$ 7,5 milhões.

A operação Oplatek cumpriu sete mandados de prisão e 11 de busca e apreensão, em Maceió e Colônia de Leopoldina. As investigações foram realizadas pelas equipes da Dracco, coordenadas pelos delegados Igor Diego, Sidney Tenório e João Marcello. Todos os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

O efetivo utilizado na ação policial também contou com o apoio da Corregedoria Geral da Polícia Civil (CGPC), da Diretoria de Inteligência (DINPOL), da Diretoria de Polícia Judiciária 1 (DPJ1), Diretoria de Polícia Judiciária 3 (DPJ3) e da Polícia Militar.

A operação ganhou a denominação de “Oplatek” em referência a tradição milenar polonesa de dividir o pão (alimento sagrado) entre os integrantes da mesma família, como forma de fortalecer os laços familiares, o que de certa forma vinha sendo feito pelos integrantes da organização criminosa.

Durante a ação foram apreendidos sete carros, sendo três de luxo, joias, escrituras de imóveis, celulares, notebooks, relógios, ipads e maquinetas.

Aos suspeitos, são imputados os crimes de organização criminosa, peculato, desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e inserção de dados falsos em sistema de informação. As penas juntas ultrapassam 44 anos de prisão.

Foram bloqueadas as contas de todos os envolvidos e sequestro de bens identificados até o momento. Tudo com a intenção de recompor o prejuízo ao erário.

Veja vídeo:

Galeria de Imagens