Anadia/AL

22 de julho de 2024

Anadia/AL, 22 de julho de 2024

Governo de Alagoas vai construir 56 escolas até 2026

Paulo Dantas lançou o programa Escola do Coração em Palmeira dos Índios neste domingo (23) - 0014

ABN - Alagoas Brasil Noticias

Em 24 de junho de 2024

Alagoas 2

Edvan Ferreira / Agência Alagoas

Rafael Maynart / Agência Alagoas

Em mais um marco histórico para a educação alagoana, o governador Paulo Dantas lançou neste domingo (23), em Palmeira dos Índios, o maior programa de construção de escolas públicas de Alagoas, o Escola do Coração. O projeto prevê 56 novas unidades de ensino em todo o estado e vai contar com R$ 500 milhões em investimentos, beneficiando mais de 57 mil estudantes e gerando cerca de 3 mil empregos diretos.

Com o programa, Alagoas dá um passo significativo rumo à universalização do ensino integral e à melhoria da qualidade da educação pública, reafirmando seu compromisso com o futuro das novas gerações. O governador Paulo Dantas afirmou que os investimentos na educação são referência para o país e que nenhum outro Estado está investindo tanto na educação.

“A educação é uma das nossas prioridades e investir meio bilhão de reais na construção de 56 novas escolas é a demonstração do nosso compromisso com o ensino. O futuro dos nossos jovens é nosso dever e vamos fazer tudo que estiver ao nosso alcance para que tenham os melhores desempenho”, afirmou.

O deputado federal Rafael Brito lembrou da época em que foi secretário da educação e os avanços naquela época refletem até hoje no desenvolvimento dos estudantes. “É muito gratificante e emocionante ver esse grande investimento acontecendo. O que o governador Paulo Dantas está fazendo na educação é uma revolução. Quando fui secretário, reformamos dezenas de escolas, lançamos programas e hoje vejo que tudo valeu a pena. Paulo está marcando seu nome na história de Alagoas”, disse.

A secretária de Estado da Educação, Roseane Vasconcelos, destacou a importância histórica do Escola do Coração: “Este programa, que visa à universalização do ensino integral em Alagoas, é um verdadeiro marco para o nosso estado. Nos últimos 24 anos, a população alagoana viu 46 escolas serem construídas. Agora, o governador Paulo Dantas vai entregar, até 2026, 56 novas unidades. Isso só reforça o compromisso do Governo de Alagoas, que não só vem aprimorando a infraestrutura escolar, como, também, valorizando o servidor e garantindo oportunidades para todos, por meio de uma educação pública de qualidade.”

A Aldeia Serra da Capela será sede da nova Escola Estadual Indígena Cacique Alfredo Celestino, parte integrante do programa Escola do Coração. A unidade, que atenderá cerca de 600 estudantes indígenas do povo Xucuru-Kariri.

A obra, destinada a fortalecer a infraestrutura escolar e valorizar permanentemente a cultura e tradição dos povos originários, proporcionará melhores condições de trabalho aos servidores da Educação e um ambiente adequado à aprendizagem. Durante a fase de construção, o Governo de Alagoas espera gerar aproximadamente 40 empregos diretos e indiretos.

“O desenvolvimento dessa escola na Aldeia Serra da Capela é um marco significativo para a educação e cultura da nossa comunidade indígena”, afirmou o prefeito de Palmeira dos Índios, Julio Cesar. “Com esta iniciativa, estamos não apenas investindo na educação dos nossos jovens, mas também preservando e valorizando a rica herança cultural do povo Xucuru-Kariri. A Escola Estadual Indígena Cacique Alfredo Celestino será um símbolo de progresso e respeito pelas tradições locais”, destacou.

Os prefeitos dos municípios que receberão as novas escolas estavam presentes no evento, assim como o deputado federal Paulão, a deputada estadual Fátima Canuto e o secretário Silvio Bulhões (Ciência e Tecnologia).

ESTRUTURA DAS NOVAS ESCOLAS

O programa Escola do Coração prevê a construção de escolas em três formatos diferentes, adaptadas às necessidades de cada região:

        •       43 escolas com 12 salas de aula: Cada unidade terá capacidade para acolher até 1.200 estudantes e contará com auditório, biblioteca, salas de informática e do grêmio, bicicletário, pátio coberto, cozinha completa, estacionamento e outras facilidades.

        •       5 escolas com 6 salas de aula: Estas unidades serão capazes de receber até 600 estudantes cada.

        •       8 escolas com 4 salas de aula: Preparadas para acolher até 400 alunos cada.

DISTRIBUIÇÃO REGIONAL

A escolha das cidades para a construção das novas escolas seguiu critérios técnicos, considerando a demanda por vagas em cada região. Maceió, por exemplo, receberá nove unidades, que beneficiarão cerca de dez mil estudantes, sendo três delas localizadas no complexo residencial Benedito Bentes.

Região Metropolitana de Maceió:  Maceió (9 unidades), Satuba (1), Pilar (1), Atalaia (1), Rio Largo (1)

Agreste: Palmeiras dos Índios (6), São Sebastião (3), Feira Grande (2), Traipu (2), Coité do Nóia (1), Taquarana (1), Campo Grande (1), Arapiraca (1), Craíbas (1), Estrela de Alagoas (1), Cacimbinhas (1) e Limoeiro de Anadia (1);

Sertão: Pariconha (2 unidades), Olho d’Água do Casado (1), Inhapi (1), Água Branca (1), Carneiros (1), Maravilha (1), São José da Tapera (1);

Zona da Mata: União dos Palmares (1), Ibateguara (1),Branquinha (1),Flexeiras (1);

Região Norte: Colônia Leopoldina (1), Japaratinga (1), São Miguel dos Milagres (1), Maragogi (1);

Região Sul: Jequiá da Praia (1), Roteiro (1);

Baixo São Francisco: Porto Real do Colégio (1).

Redação com Agência Alagoas


Galeria de Imagens