“O nosso objetivo é fazer com que o esporte seja parte da inclusão de todos, não apenas voltado para um público específico. Essa é a ideia da Tigres Thai, incluir o máximo de pessoas possíveis dentro do nosso esporte,” afirmou o instrutor Júnior Pinheiro.

Durante as atividades, pessoas com autismo e seus acompanhantes tiveram o primeiro contato com o esporte. “A equipe foi muito dedicada, com bastante paciência, e incrível no acolhimento. Eu gostei bastante de participar,” comentou Hanny Maria, de 15 anos.

Para o professor universitário Nagib Mendes, aluno da equipe de muay thai, e pai de Vinicius, com TEA, eventos como esse aumentam a visibilidade da causa. “O esporte para pessoas com deficiência, no caso do autismo, é muito importante para o desenvolvimento. O esporte pode ser a plataforma de inclusão para a pessoa com autismo”, ressaltou.

O empresário Emerson Machado, que também é aluno da Tigres, levou seu filho Lucas, que é autista, para participar do evento e destacou a importância da inclusão. “Sempre tento estar presente com meu filho nesses eventos para que ele se sinta mais amado, mais seguro e tenha confiança naquilo que vai fazer. Espero sempre estar presente e trazer meu filho porque o esporte é essencial na vida do autista”, pontuou.

Além da oficina esportiva e de demonstrações das atividades de bombeiros e policiais, o evento reuniu famílias, especialistas e profissionais de várias áreas, com  muita música, lazer e outras atividades, criando um ambiente de inclusão e aprendizado.

*Redação com Cada Minuto